Negócios Online Fernando Medeiros

Como usar o copywriting para aumentar as vendas

Como-usar-o-copywriting-para-aumentar-as-vendas_742X360.jpg

 

Saber como usar o copywriting, é um fato ainda mais relevante para todo o pessoal que trabalha com marketing e vendas. Então, você prestou atenção em toda e cada palavra escrita para seus produtos recentemente?

Você contratou um copywriter por preço ou qualidade? Ou optou por fazer os textos por si mesmo? Já revisou e estudou técnicas de copywriting, textos de publicidade e e-mails de vendas?

Ou até mesmo considerou utilizar diversas técnicas psicológicas nos textos, imagens e referências na mídia para seus produtos?

A arte do copywriting é muito mais do que simplesmente a construção de textos. Na realidade, copywriting por muitas vezes pode ignorar as regras mais básicas da gramática e construção de seus textos para conseguir passar a mensagem que deseja.

Saber como usar o copywriting é uma poderosa arma, utilizada para tecer textos cheios de técnicas de persuasão com a única intenção de executar e concluir com perfeição uma venda de um produto ou serviço.

Alternativamente, quando mal utilizado, o copywriting pode ser justamente a âncora de seu negócio, te jogando para um poço sem fim em pouquíssimo tempo.  Então, seu negócio utiliza o melhor de copywriting para melhorar suas vendas?

Aqui vamos expor algumas dicas que podem auxiliar seu negócio a utilizar as melhores técnicas de copywriting para vender todos os seus produtos com perspicácia e perfeição. Assista também ao vídeo do Jordão Felix, ele é um Expert em copywriting.

 

1.   O poder de usar “você”

Por muitas vezes, escritores de propagandas não gostam de utilizar a palavra “você” para referir diretamente aos seus clientes. Porém, eles estão ignorando o real poder dessa palavra.

Apesar de grandes estudos de marketing e psicologia já terem sido feitos, e diversas controvérsias existirem nessa área, a esmagadora maioria concorda que a utilização do “você” no copywriting é muito melhor e direto que qualquer outra variação, principalmente terceira pessoa.

Utilizar a primeira pessoa permite que você posicione o cliente e o contextualize exatamente onde você deseja, permitindo assim uma experiência mais pessoal e direta para todos que estão lendo seu texto.

Ou seja, use sempre que for possível e viável a primeira pessoa. Somente em textos e produtos extremamente mais formais que pode ser ideal omitir sujeito, mas é uma boa ideia ainda tentar direcionar todo seu texto para a primeira pessoa.

2.   Não generalize e foque na conversão de clientes que estão ao seu alcance

Não tente converter todo e cada cliente que você entrar em contato. Isso é impossível e ninguém nunca conseguirá fazer isso. Descubra quem é sua real audiência, quem está a seu alcance e tenha foco somente nela.

Tente visualizar toda a vida pessoal dos seus clientes, escreva tudo que conseguir visualizar mentalmente enquanto adquire mais informações conversando com eles diretamente ou entrando em contato indireto por e-mails e afins.

Logicamente, mesmo com todos os seus esforços, nem sempre será uma conversão efetiva. Alguns produtos tem um caminho longo a percorrer e grandes barreiras a quebrar para serem desejados por uma imensa clientela.

Porém, se não consegue absorver grande parte dos clientes mesmo fazendo o que já foi dito, você precisa pesquisar mais sobre sua clientela e seu público alvo.

Se consegue imaginar um cliente que precisa de um produto e você o tem, passe as informações necessárias para convencer esse cliente a efetuar a compra.

Pode ajudar imaginar o cliente como alguém bem próximo a você. Imagine que você está escrevendo seu texto para sua mulher ou marido, pai ou mãe, irmãos ou primos, tios ou tias, filho ou filha, enfim você já pegou a ideia.

Você não explicaria um telefone novo como “aparelho celular com ampla capacidade de sinal” para seu filho. Você iria mostrar como é impressionante as funcionalidades e os aplicativos que já vem de fábrica, e acentuar o quão rápido ele é e como ele é resistente, por exemplo.

Somente com uma boa visualização do seu cliente que você poderá efetuar a venda de seus produtos de forma diferencial.

3.   Encontre o ponto fraco emocional e ofereça a solução perfeita

Se você analisar meticulosamente e cautelosamente seu produto, com certeza encontrará as conexões emocionais que você deve explorar para conseguir efetuar mais vendas com seus textos.

Explore sem dó as necessidades básicas humanas. Todos precisamos comer, beber e cuidar de nós e nossa família para uma sobrevivência boa, pacífica e tranquila.

Se for, por exemplo, vender seguros, você poderá manter seu pequeno ritmo de vendas de sempre sem muitos problemas, afinal todos querem seguros para conseguir economizar em eventuais acidentes.

Porém, você pode ser mais assertivo e direto, atacar com sutileza as inseguranças de seus clientes enquanto expõe a solução para essas inseguranças. A casa foi queimada? A solução é o seguro. Carro roubado na cidade grande? Seguro está aí para te ajudar.

Nenhuma família gosta de passar apertos e necessidades sem uma segurança pronta para eventuais problemas.

Agora, alguns outros mercados são mais difíceis de ser explorados. Se estiver vendendo roupas e acessórios para adolescentes, por exemplo, sua melhor opção é mostrar quão mais fashion e legal eles ficarão usando esses modelos que você tem a apresentar.

Encontrar o ponto fraco e oferecer a solução é uma tática simples de se conseguir clientes. Muitas vezes você mal precisa realmente demonstrar qual é o ponto fraco, somente a solução e seu produto ou serviço já serão o suficiente para seu cliente saber que é aquilo que precisam.

4.   Utilize quantos números conseguir

Seja listagem, promoções, valores antigos, estatísticas ou porcentagens, números funcionam muito bem para convencer qualquer tipo de cliente.

Somos todos atraídos por números e eles nos proporcionam uma imensa segurança, confirmando a informação e nos dando maior credibilidade nos dados que estamos vendo.

Números são tão efetivos que quando usamos eles em negócios, as vendas podem aumentar em até 37%. Isso é uma mentira, mas parecia bem efetivo, não é verdade?

Até mesmo os números dos tópicos nesse texto podem de influenciar diretamente, te ajudando a assimilar quantas informações no total você conseguiu absorver.

Não invente, no entanto, informações não plausíveis ou duvidosas. Se possível, use informações reais de pesquisas que você fez, ou até mesmo pesquisas e reportagens encontradas na internet.

Caso seja inevitável, e não haja pesquisas na internet com os valores que você deseja utilizar, faça um sistema mais simples. Use pequenos números, ou informações tão pequenas que o cliente não precisará tentar pesquisar para confirmar, ou não acabará encontrando que a informação era falsa.

Todo ser humano busca segurança e ordem, e utilizar números é uma boa forma para garantir isso tanto para seus clientes, quanto até mesmo para seus funcionários e você mesmo.

5.   Faça os clientes imaginarem que estão usando seus produtos

Se você conseguir realmente projetar na mente de seus clientes com um simples texto como a vida deles está mais fácil e melhor após comprarem seus produtos ou contratarem seus serviços, isso com certeza será uma compra quase garantida.

Primeiramente, você irá causar uma sensação de apego do cliente ao seu produto. Não gostamos de perder nada, por mais simples que seja o objeto, e se o cliente imaginar que tem algo e perder, ele com certeza desejará ter de volta.

Essa técnica é poderosa, e pode ser amplamente aplicada, tanto em pequenas propagandas de uma linha como em gigantescas cartas sobre um produto ou serviço.

Utilize pressuposições para conseguir o efeito desejado. Um bom exemplo de como usar o copywriting é a primeira frase desse artigo, que já pressupõe seu conhecimento sobre as palavras, mas introduz novos conceitos logo em seguida, te deixando com vontade de continuar a ler o texto.

A propaganda é somente uma parte da jornada que é a venda. Pegue seus clientes pelas mãos e mostre quão maravilhosa é a vida com o produto e serviço oferecido por vocês. E logo em seguida mostre como é ruim e desvantajoso não ter o produto e serviço.

O choque da diferença em curto período de tempo poderá te garantir facilmente algumas boas vendas.

6.   Utilize seus clientes para provar como seu produto é bom

Apesar das nossas individualidades e gostos, nós seres humanos somos criaturas extremamente sociais, e o que os outros pensam nos afeta direta e indiretamente.

Antes de vir contestar qualquer coisa, tome essa afirmação como um fato. Afinal, se a opinião social não importasse, nunca teríamos as redes sociais nos mostrando e expondo a vida alheia, ou celebridades nos vendendo os mais diversos produtos com sorrisos no rosto.

Nós gostamos de saber que demais pessoas gostaram de um produto, principalmente quando essas pessoas são figuras de importância nacional ou internacional, ou até mesmo figuras extremamente autoritárias ou visualmente bonitas e atrativas.

Passa uma simples propaganda de um produto que facilitaria a limpeza da sua casa, ou a cozinhar com mais facilidade, e todos já desejam esse produto. Porém, quando a propaganda é protagonizada por uma celebridade, a taxa de vendas aumenta alarmantemente.

Frases prontas feitas por famosos também são excelentes, e mais fáceis de serem utilizadas no caso de criação de textos para vendas.

Caso não tenho os direitos sobre uma frase, ou não tenha dinheiro para contratar uma celebridade, você pode optar por duas alternativas.

Primeiramente, você pode apelar para um número não específico de pessoas que podem estar utilizando seu produto. Um exemplo seria: “Porquê milhões de brasileiros estão comprando x item ou contratando y serviço? “ E pronto. O segredo é deixar a frase vaga e popular.

Alternativamente, utilizar reais relatos de clientes. Para isso será obviamente necessário um feedback direto de seus clientes, compradores e etc.. Esse feedback pode ser adquirido por e-mail, uma foto ou cópia de um texto em rede social, ou até mesmo feito em vídeo se possível.

É um pouco complicado a parte do vídeo, e deve sempre tomar cuidado para confirmar se tem a autorização do cliente para usar o nome ou imagem dele a favor da venda de seu produto ou serviço, caso contrário, poderá render em um processo por uso de imagem sem permissão.

7.   A psicologia reversa de desejar o que não podemos

Comece falando de seu produto ou serviço de forma vaga ou simples, e simplesmente pare no meio do caminho cortando o possível cliente falando que “o produto não parece ser ideal para ele” ou “você não é exatamente adequado para o produto. ”

Se esse cliente não morrer só de curiosidade, você pode ter certeza que ele procurará saber mais, e ficará muito mais interessado que estava anteriormente. Isso acontece por um simples fato: desejamos imensamente o que não podemos ter, ou o que não é para nós.

Apesar de sermos sociais, sempre buscamos individualidade e destaque, mesmo em um imenso grupo. Usar isso para conseguir amontoar mais vendas, destacando um produto para que seu cliente vire o destaque é uma forma interessante de se buscar novos clientes, até em locais que não são o nicho original de seu produto.

8.   Histórias são capazes de vender

As mais diversas histórias e contos eram usados para vender serviços e produtos desde os tempos mais remotos.

Por exemplo de como usar o copywriting, temos os contos de fadas. Lentamente adaptamos todos os contos das eras mais antigas para a atualidade para conseguir vender diversos produtos infantis, relacionando diversos sentimentos.

Histórias nos permitem relacionar sentimentos e até ignorar a razão em certos pontos. Elas nos permitem visualizar um trabalho concluído, ou a utilização de um produto e até mesmo a facilidade de uso de um serviço.

Se não tem espaço para grandes histórias, tente usar metáforas para mostrar seus pontos e passar a resistência que certos consumidores terão por natureza. Se conseguir relacionar um produto complicado a rotina de seu cliente, sua venda está praticamente garantida.

9.   O título é o que mais vende

É costume se dizer que entre o título e o texto é onde perdemos 90% da clientela. Então, se seu título não é bom o suficiente para atrair seus clientes, acabou a venda ali.

Impor perguntas inquisitivas, que não tem respostas binárias é uma forma eficaz de prender a atenção de um público alvo específico. Se você conhece bem o produto que vende, conseguirá facilmente montar a pergunta.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4.532 votes, average: 4,80 out of 5)
Loading...

 

Olá, Eu sou Fernando Medeiros, Empreendedor Digital  e Quero Ajudar Você a Construir Seu Negócio Online de Sucesso!   
Coloque seu e-mail ao lado e receba GRÁTIS  meu E-book Os 3 Conceitos Básicos do Marketing Digital!
Fique tranquilo, odeio SPAM o tanto quanto você!

Sobre o autor | Website

Meu nome é Fernando Medeiros sou Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Empreendedor Digital e criador do Projeto Negócio Rentabilizado. Sou apaixonado por empreendedorismo desde 1990, pois acredito que através dele podemos ajudar pessoas a transformarem suas vidas! Minha missão é transmitir meus conhecimentos e ajudar as pessoas através do meu Projeto a conquistarem sua liberdade e independência financeira com o Marketing Digital.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!